12/03/2016

Jovens da Bíblia – Davi: Derrubando Gigantes [Parte 2]
Mocidade Nova Vida11:54 0 comentários

Oi Pessoal! Hoje iremos dar continuidade à nossa série falando sobre Davi. Falarei hoje de sua épica batalha contra o gigante Golias e apresentarei alguns motivos pelo qual ele saiu vitorioso nessa luta! 


A batalha de Davi e Golias é uma das histórias mais bem-conhecidas em toda a Bíblia. Um campeão, Golias, saía do campo dos filisteus todos os dias durantes mais ou menos quarenta dias, desafiando o exército israelita para mandarem um competidor digno. Este gigante filisteu tinha mais ou menos três metros e usava pelo menos 55 quilos de armadura. Confiante na superioridade de seu equipamento e da sua força natural ele propõe uma competição em que o ganhador ficaria com tudo. Ninguém aceitava a proposta!

O jovem Davi foi enviado por seu pai para levar grãos tostados, pães e queijo para os seus irmãos e o seu comandante na frente da batalha. Foi neste campo que a vida de Davi tomou um rumo diferente, e nunca seria a mesma. O resultado final, porém, não aconteceu por acidente. Davi, um pequeno jovem, acabou derrotando esse gigante!

Vamos aprender sete passos tomados por Davi para derrotar o gigante. Mas primeiramente precisamos saber quem foi Golias. A Bíblia assim o descreve:

“Um homem chamado Golias, da cidade de Gate, saiu do acampamento filisteu para desafiar os israelitas. Ele tinha quase três metros de altura e usava um capacete de bronze e uma armadura também de bronze, que pesava uns sessenta quilos. As pernas estavam protegidas por caneleiras de bronze, e ele carregava nos ombros um dardo, também de bronze. A lança dele era enorme, muito grossa e pesada; a ponta era de ferro e pesava mais ou menos sete quilos. Na frente dele ia um soldado carregando o seu escudo.” (1 Samuel 17.4-7 NTLH).

Pela descrição acima Davi não tinha chance alguma de derrotar esse imenso filisteu; porém ao estudarmos todo o capítulo 17 de 1 Samuel vamos encontrar de forma bem distinta sete passos que levaram Davi à vitória.

1º passo: Motivação. Saul e todo o seu exército estavam apavorados e não sabiam como agir diante daquela situação. Porém, Davi ao saber que aquele que matasse o gigante receberia: (a) grandes riquezas, (b) casaria com a filha do rei, e (c) teria a isenção de impostos em Israel (1 Samuel 17.25), recebeu motivação necessária para lutar contra o gigante. Na verdade, todos os soldados do rei sabiam que tal trunfo traria todos esses benefícios; entretanto nenhum deles se motivou para derrotar o gigante. Davi, porém, viu nisso uma grande oportunidade e motivou-se o suficiente para enfrentar Golias. A motivação vence o medo. Logo é inegável que tal motivação desencadeou em Davi todos os demais passos que veremos.

2º passo: Comparação. O Davi motivado começa agora a comparar o tamanho de Golias com o poder do seu Deus. Ele diz: "Quem é, pois, esse incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo?" (1 Samuel 17.26). Primeira comparação: Golias era incircunciso (não tinha parte na Aliança de Deus), ele (Davi) era circuncidado e herdeiro da Aliança de Deus feita com Abraão. Segunda comparação: Golias e seu exército tornaram-se desprezíveis quando comparados com “os exércitos do Deus vivo”.

3º passo: Trazer à memória vitórias anteriores. Davi, como pastor de ovelhas tinha experimentado vitórias esmagadoras contra leões e ursos. Veja o que ele disse a Saul:
“Tenho matado leões e ursos e vou fazer o mesmo com esse filisteu pagão, que desafiou o exército do Deus vivo. O Senhor Deus me salvou dos leões e dos ursos e me salvará também desse filisteu. (1 Samuel 17.36-37 NTLH).
Davi reconheceu que IAHWEH, o Deus de Israel o salvou dos leões e dos ursos e que faria o mesmo com relação àquele filisteu. Davi atribuía a Deus a sua vitória e não à sua própria força ou capacidade.

4º passo: Usar a armadura correta. Saul, preocupado com Davi, ofereceu-lhe sua armadura, entretanto Davi nem conseguia andar com aquela imensa armadura. Assim Davi resolve enfrentar o gigante com as armas que ele habilmente manejava: 1 cajado (vara), 1 alforje (implemento de caça ou guerra), 1 surrão (sacola), 1 funda (arma feita de uma tira estreita de couro) e 5 pedras lisas do ribeiro. Devemos lembrar que nossas armas não são carnais e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas (2 Coríntios 10.4). Paulo nos ensina sobre a armadura de Deus (Efésios 6.10-18). Os sete aparatos dessa armadura são: (1) verdade, (2) justiça, (3) preparação do evangelho, (4) escudo da fé, (5) capacete da salvação, (6) espada do Espírito, (7) oração e súplica. Hoje nossos gigantes são espirituais e para vencê-los precisamos da armadura correta: a armadura espiritual.

5º passo: Profetizar a vitória. A Bíblia relata que Golias desprezou a Davi e o amaldiçoou dizendo: “Vem a mim, e darei a tua carne às aves do céu e às bestas-feras do campo.” (1 Samuel 17.44). Frente a essa palavra, Davi poderia ter recuado de medo; entretanto, a confiança que ele tinha em IAHWEH, o Deus da aliança era muito maior do que aquelas ameaças. Davi então teve a reação correta e profetizou dizendo ao filisteu:

“Tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. Hoje mesmo, o Senhor te entregará nas minhas mãos; ferir-te-ei, tirar-te-ei a cabeça e os cadáveres do arraial dos filisteus darei, hoje mesmo, às aves dos céus e às bestas-feras da terra; e toda a terra saberá que há Deus em Israel. (1 Samuel 17.45-46).

6º passo: Reconhecer que Deus luta pelos seus filhos. Davi sempre atribuiu suas vitórias a IAHWEH. Ele jamais confiava no seu próprio braço. Ele declarou para o filisteu:
“Saberá toda esta multidão que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará em nossas mãos.” (1 Samuel 17.47).
Davi sabia que “do Senhor é a guerra, e ele (o Senhor) vos entregará em nossas mãos.” Portanto, Davi soube reconhecer que quem afronta os filhos de Deus, afronta ao próprio Deus vivo.

7º Passo: Enfrentar o gigante. Os passos acima de nada adiantariam se Davi não se dispusesse a enfrentar o gigante. Os versos de 48 a 51 relatam como Davi, de forma ousada enfrentou a Golias e de forma esmagadora venceu o filisteu incircunciso de aproximadamente 3 metros de altura.

Davi em nenhum momento chamou Golias de gigante. Davi sempre se refere a ele como um filisteu, um homem comum, prestes a ser morto, colocando-o no mesmo nível do leão e do urso que havia vencido antes.

Era só mais um obstáculo que será vencido.

Nunca dê importância, além da merecida, a um problema. Não o transforme em um gigante. Se você está sendo provado é para ser aprovado. O Senhor já concedeu muitas vitórias antes e Ele o fará novamente. Peça a Deus para abrir seus olhos, e passe a contemplar a vitória e não o sofrimento.

"A leve e momentânea tribulação não se pode comparar com o peso eterno de glória do por vir" (2 Co 4.17).  

A tribulação vem para produzir algo em você: Perseverança, experiência e esperança. "A Perseverança te conduz ao sucesso e ao êxito"

O que aprendemos com isso?

A maneira como encaramos os gigantes faz toda a diferença. O exercito de Israel, estava olhando para ele mesmo: “O que eles podiam fazer? Golias é muito forte.”, “Onde encontrariam um soldado tão treinado para enfrentar aquele gigante?. “E se nós formos derrotados, o que nos acontecerá?”.
Talvez até agora você tenha confiado só em você e esteja olhando, sem saída, para as dificuldades. Hoje Deus te chama a olhar para Ele e confiar somente n'Ele, para que a vitória finalmente chegue às suas mãos.

“Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará. (Sl 37.5)


O segredo da vitória está em reconhecer o poder infinito de Deus em relação ao inimigo. A fé nos leva a ver a grandeza de Deus e a fragilidade do inimigo. Nossos inimigos atuais, sejam materiais ou espirituais, terão que se dobrar perante a grandeza do nosso Deus, o Senhor dos exércitos, porque dEle é a guerra, e Ele mesmo entregará os inimigos nas nossas mãos.


Uma Semana Abençoada!

0 comentários

Postar um comentário