03/03/2016

O jovem cristão e o guarda roupa
Mocidade Nova Vida22:33 0 comentários


Já faz algum tempo que venho pensando em abordar esse assunto aqui no blog e o dia chegou!

Todos nós queremos nos vestir bem e passar uma imagem legal para as pessoas, e os jovens, na maioria das vezes, sentem mais necessidade disso do que os adultos. Digo isso por conta de uma série de fatores: transição da fase de criança para a fase adulta, necessidade de autoafirmação, insegurança e tudo mais. Por incrível que pareça, passamos todas essas impressões e mais algumas através do que vestimos.

Nossa forma de se vestir fala muito sobre o nosso estado de espírito, personalidade, valores e convicções. Você pode até se perguntar " Nossa! Como uma calça jeans e camiseta pode falar tudo isso?". E eu te respondo! Se você estiver triste, dificilmente irá  escolher uma camiseta com cores alegres, por exemplo. Se você tem uma personalidade mais "despojada" não terá muita preocupação com o corte da calça ou se a camiseta está, necessariamente, combinando com o calçado.  E por fim, se seus valores e convicções não lhe permite usar algo com conotação mais sensual, provavelmente você não conseguirá usar um jeans justo (justo é diferente de ajustado) com uma camiseta colada, curta ou muito decotada. Ou até mesmo uma camiseta com dizeres que você não concorda. 

Observação: todas essas situações se aplicam tanto aos meninos quanto às meninas.

Trazendo para o contexto cristão desse tema quero falar sobre 3 versículos:

"Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo." 1 Coríntios 11.1



Com base nesse versículo, quero fazer uma pergunta: Quem tem te influenciado na hora de escolher o que vai vestir? Quem tem sido seu referencial?  Se você tem padrões mundanos, tudo aquilo que não agrada a Deus passará a ser normal para você, afinal, se seus referenciais se vestem assim, chegará o momento em que a sua mente terá o errado por certo e o anormal (dentro dos padrões cristãos), por normal. Sendo assim, quando você escolher algo para vestir deve se perguntar "Com essa roupa sigo os padrões de Cristo como seu imitador ou não?". Na Bíblia não se fala nada sobre comprimento, tecido, corte ou estampa de roupa que o cristão deve ou não vestir, mas fala sobre pureza (1 Timóteo 4.12), santificação (Efésios 1.4) e que o  seu povo deve ser separado (2 Coríntios 6.14-18). Esses são os padrões e os referenciais que devemos seguir em tudo, inclusive no compor nosso guarda roupa.

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma." 1 Coríntios 6.12



O versículo é muito claro, tudo podemos fazer (exceto as que Deus nos proíbe objetivamente na Bíblia ou individualmente conforme o propósito que tem para cada um de nós), mas nem todas as coisas que podemos fazer, convém que façamos. Por exemplo, convém que uma moça cristã ou um rapaz cristão se vista com o intuito de despertar o desejo em outra pessoa? Se ela não é casada com a pessoa em que ela está querendo seduzir, não. E mesmo que seja, há lugar e hora própria para isso, que não é a rua nem locais públicos. Temos que ter em mente o que a palavra diz: " A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual." 1 Tessalonicenses 4:3 e "Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.Não se tornem motivo de tropeço, nem para judeus, nem para gregos, nem para a igreja de Deus." 1 Coríntios 10.31 e 32.

Muitas vezes o que nos leva a fazer o que não convém (não apenas em relação à roupas, mas a tudo) é a necessidade de ser aceito. Não poucas vezes os jovens passam por enormes crises de auto-estima e se submetem a qualquer coisa para sair dessas crises, porém enquanto nós não nos aceitarmos como somos, trabalharmos com a realidade lidando com os defeitos e qualidades, nada em relação a como nos sentimos mudará. Você jamais será verdadeiramente amado ou aceito por aquilo que você não é, pois amor e aceitação envolvem defeitos, limitações e diferenças, se elas não aparecem então os sentimentos não são verdadeiros. Em tudo e por tudo temos que ter em mente que Deus nos ama como somos, se ele nos aceita assim, por que então nos prender a comportamentos e atitudes que confrontam os padrões divinos apenas para tentar ser quem você não é e tentar pertencer a um grupo em que você não se adequa? As relações e aceitações precisam ser naturais e não impostas.

" Vocês mesmos são a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos."
2 Coríntios 3.2



Esse versículo diz que nós mesmos somos cartas, do evangelho, lida por todos os homens. Isso quer dizer que não adianta apenas falar de Cristo e do evangelho, precisamos vivê-lo. Fazendo uma contextualização com o tema que estamos falando, quero dizer que a sua forma de se expressar através do que veste também falará sobre o evangelho que você prega, e de forma nenhuma é certo você pregar uma coisa e viver outra, a palavra e comportamento do cristão deve ser sim, sim ou não, não; o que passa disso é de procedência maligna (Mateus 5.37). Sendo assim, o evangelho que pregamos, de mudança, restauração, salvação, pureza e santificação deve ser visto em nossas vidas e não apenas em nossas palavras.

Para finalizar, quero deixar bem claro que o intuito desse post não é dizer "Saia de burca!", "Use as roupas do tempo de Jesus!", mas , sim trazer a reflexão as seguintes perguntas: "Será que não estou relativizando tudo?", "Será que meus padrões na hora de me vestir não estão invertidos?". É bom e necessário se sentir bem e bonita (o) quando nos vestimos, mas não precisamos negar os princípios e valores cristãos às custas disso.

E adianto, em breve teremos dicas tanto para as meninas, quanto para os meninos, sobre looks que reflitam a nossa personalidade mas sem deixar tudo o que foi escrito hoje de lado!

Fiquem na paz!



Categoria: ,

0 comentários

Postar um comentário