24/02/2016

Teoria vocal e técnica de canto - RESPIRAÇÃO
Mocidade Nova Vida22:15 0 comentários


Boa noite, galera!

Hoje é dia de falarmos sobre música por aqui!

Eu me considero uma pessoa muito musical (apesar de ter pouquíssimo conhecimento em teoria musical e canto) e pensando no que trazer hoje pensei em dar algumas dicas sobre canto.

Nós que gostamos de cantar, muitas vezes encontramos diversas dificuldades para praticar essa atividade, porque geralmente não temos conhecimento técnico e nem temos quem nos oriente a o que fazer e como fazer. Sendo assim,  daqui para frente, em alguns posts de música, vou tentar compartilhar com vocês algumas noções de teoria vocal e algumas técnicas de canto.

No post de hoje falaremos sobre um dos pilares do canto a RESPIRAÇÃO.


Para quem não sabe, os pilares do canto são: respiração, fonação e ressonância. Sem entender esses conceitos e trabalha-los aplicando-os no seu dia a dia, será impossível você conseguir cantar com qualidade.

Então vamos lá!

No canto a respiração tem um papel importantíssimo já que o som é ar sonorizado. Para  cantar devemos treinar bem a respiração para conseguir realizar todas as manobras necessárias mediante a tantas formas de frases, andamentos, alturas e agrupamentos de palavras possíveis encontradas em um música.

Para realizarmos a respiração utilizamos o aparelho respiratório, que é composto por: nariz, traqueia, pulmões e diafragma.

O ar entra pelo nariz ou boca, passa pela traqueia, desce para os pulmões que por estar na caixa torácica está sustentado pelo diafragma.

Obs: No canto a respiração diaframática é extremamente importante, porque quando ocorre a sustentação do ar no diafragma, conseguimos armazenar mais ar e liberá-lo com mais sutileza, o que reflete na emissão dos sons.

O respirar para cantar acontece em 4 estágios:

Período de inspiração (inalação): Para o canto, deve ser mais rápida e mais profunda que a natural. Quando você inale, pense nestas expressões chaves: para dentro, para baixo, expandido. Elas poderão ajudá-lo a ter as sensações corretas ao respirar. A inalação deve ser fácil, sem fazer barulho, e não de uma forma forçada.

Período de instalação (sustentação): Não é feita na respiração natural, pois não se faz necessária, mais no canto, porém, é muito importante que a respiração seja sustentada (parada) por um momento, como se o ato de respirar tivesse sido completado. O propósito desse momento de sustentação é ajustar ou graduar o ar exalado que vai ser usado no som vocal que irá a servir. Quando é feita adequadamente, a sustentação possibilitará começar o som sem nenhum esforço significativo ou qualquer reajustamento das partes de seu mecanismo vocal. É importante lembrar que enquanto a sustentação estiver, sendo feita, sua respiração está suspensa, nada está sendo inalado ou exalado; logo todo o seu corpo também deverá estar parado. Já que a sustentação não faz parte da respiração natural, é necessário que ela seja elaborada pelo cantor, e praticada até que se torne espontânea.



Período de expiração controlada (realizar o som enquanto exalo o ar): No canto, é o período no qual o som vocal é produzido. A duração do tempo a que a exalação será controlada será determinada pelo tanto de música a ser cantada em uma respiração. Na respiração natural, o ar deixa seu corpo de uma maneira consideravelmente rápida, quando o diafragma relaxa e vários músculos e órgãos se juntam para empurrar o ar para fora. Todavia, em canto, a respiração precisa ser conservada (mantida) es depois solta de uma maneira bem lenta, assim como o diafragma vai saído gradualmente do seu estado de tensão e retorna à sua posição original. 

Período de descanso ou recuperação: É o breve momento ao final de cada respiração quando todos os músculos se associam para um relaxamento. Se esse período de recuperação for ignorado, os músculos adquirirão uma tendência de ficarem cada vez mais tensos com as respirações que se seguirão, principalmente na cansativa tarefa de cantar ao público.


Exercícios

Inspiração



1)- Inspirar como se estivesse cheirando uma flor. Após expirar lentamente. Lembrando de Inspirar pelo nariz e expirar pela boca.

2)- Como no exercício acima inspirar como se estivesse cheirando uma flor, fazer uma contagem mental até 5, depois expirar lentamente.

3)- Fazer o Exercício acima só que aumentando o tempo de inspiração gradativamente antes de expirar.

4)- Inspirar colocando uma mão no abdômen e a outra no peito procurando observar sua movimentação. Observar se há elevação do tórax e ombros a fim de corrigir. Para isso é importante fazer o exercício frente a um espelho.

5)- Uma outra variação pode ser feita deitado onde você deve Inspirar colocando uma mão no peito um livro no abdômen e observar sua movimentação. Observar se há predominância de movimentação do tórax e ombros a fim de corrigir. 




Inspiração e expiração



1)- Inspirar profundamente e depois expirar em [S]:  Sssssssssssssssss  É preciso colocar energia no [S], não apenas deixar sair o ar é pensar em projeção também.

2)-Inspirar profundamente e em seguida expirar em [X]. Mesmo procedimento que o exercício anterior.

3)- Inspirar profundamente e em seguida expirar em [F].

4)-Inspirar Profundamente e em seguida expirar em [Z]. Observe que até aqui ocorria somente a saída de ar sem a vibração das pregas vocais. Com o z há vibração das pregas vocais. Repetir várias vezes procurando utilizar o ar de forma natural sem tencionar a laringe nem deixar o som falhar.

5)-Inspirar Profundamente e em seguida expirar em [G]. Mesmo caso do Exercício anterior.

6)-Inspirar Profundamente e em seguida expirar em [V]. Mesmo caso do Exercício anterior.

7)- Soprar Língua de sogra, observando o fluxo de ar, sempre procurando um fluxo firme e  contínuo.



8)- Soprar Bolas de aniversário, procurando não encher as bochechas e tentando encher em um fôlego só. A princípio utilizar a bola de nº 8, com o treino e domínio ir mudando a numeração.                       

 


9)- Inspirar profundamente e após usando a voz falada contar os números 1,2,3,4,5,6,7, até acabar o ar. Esse exercício deve ser treinado sempre e a cada vez ir tentando acrescentar mais números.

10)- Inspirar profundamente e após usando a voz cantada dessa vez contar os números 1,2,3,4,5,6,7, até acabar o ar. Esse exercício deve ser treinado sempre e a cada vez ir tentando acrescentar mais números.

11)- Inspirar e depois falar o alfabeto quantas vezes conseguir. Com o treino ir acrescentando mais letras. Falar as letras bem ligadas. Repetir o Exercício acima usando a região da voz cantada.

Apoio diafragmático


A musculatura abdominal além do diafragma é  muito importante na hora de apoiar, pois quando quisermos levar uma frase até o final, ou controlar melhor a saída de ar é na musculatura do abdômen que faremos pequenos movimentos a fim de dosar a saída de ar e/ou permitindo o diafragma  o seu retorno.

1)-  Fazendo vários [S] em stacato (destacado) para sentir o movimento abdominal.

2)- [SI] [XI] [FU] [PÁ] Fazendo pequenas contrações no abdômen.

Vídeo sobre inspiração e expiração



Vídeo sobre respiração diafragmática




E por hoje é isso, galera! Espero que vocês tenham aprendido um pouco sobre respiração.
 No próximo post sobre canto, falarei sobre fonação.

Beijos e fiquem na paz!
*Fontes:
http://www.vozecantoporfaninineves.com/tecnica-vocal-/respira%C3%A7%C3%A3o!!!
musicaeadoracao.com.br/recursos/arquivos/palestras/tecnica_vocal.pps
Categoria: ,

0 comentários

Postar um comentário